Tarte de abóbora master músculos


Como bem sabem, neste blog a palavra proteína e músculo andam bem ligadas entre si, pois se não ingerirem da primeira não vão conseguir aumentar a segunda! 
Tenho uma secção deste blog dedicada exclusivamente ao acto de incrementar o valor proteico de um prato ou determinada receita. Chamo a isto de PROTEINIZAR! Nessa secção poderão ver uma espécie de tutorial com dicas, conselhos e técnicas que fui (e vou) compilando à medida que testo e faço receitas proteinizadas.

Esta tarte é um exemplo do tão bem que se pode proteinizar uma receita, que já por si é deliciosa, sem desvirtuar a original e conseguindo um resultado espectacular! 

A tarte de abóbora ou como os americanos chamam: Pumpkin Pie, é um doce bem tradicional por estas alturas na América! O Halloween está aí a porta e já cheira a tarte de abóbora nas casas de muitas famílias naquele País!
Por aqui, decidi tentar adaptar a receita original e converter em algo bem mais nutritivo, saudável, e claro está, carregada de Proteína!...

Na receita original constam, para além do puré de abóbora, os suspeitos do costume: Farinha de trigo, manteiga, açúcar, leite, ovos, etc. Esta versão proteinizada, para além de ser mais proteica evidentemente, não contém açúcar adicionado, gluten e praticamente é isenta de lactose. É uma sobremesa com um cariz nutricional fantástico e que pode fazer parte de qualquer dieta, seja ela para perder peso ou aumentar massa muscular. Aliado a isto, o resultado foi genial: textura, sabor e aroma impressionantes! Esta tarte faz sucesso em qualquer mesa de doces gourmet e será certamente merecedora dos maiores elogios pelo sabor e paladar que deixa na boca! 




Bem, chega de publicidade e marketing e vamos lá matar a vossa curiosidade e desvendar o que está por detrás desta tarte dos deuses...

Ingredientes: 

- Base:
300g Frutos secos (amêndoa, caju, nozes, castanha do maranhão)
50g Cranberries secas (mirtilo vermelho)
15g Óleo de coco (colher de sopa)
1 Colher sopa de Mel
2 Colher sopa Proteína de Arroz integral (se não tiverem podem dispensar)
Água q.b.

- Recheio:
1 Lata de Puré de Abóbora 425g (podem fazer puré de abóbora em casa)
300ml de Claras
75g Proteína Whey sabor a baunilha
1 Colher de chá de stévia ou qualquer outro adoçante da vossa preferência
Para tornar esta tarte mais parecida com a versão original, não podia faltar as especiarias: Canela, Noz moscada, Cravinho, Gengibre e Pimenta da índia em pó.
Se não tiverem todas estas especiarias, usem pelo menos a canela e a Noz Moscada. Podem também comprar um tempero em pó chamado Pumpkin Spice que já tem todas estas especiarias em proporções idóneas.



Preparação:
Primeiro a base! para isso precisam de colocar todos os ingredientes num processador de alimentos ou blender e processar até ficar uma massa grosseira que compacta ao aperta-la entre as mãos, caso necessário podem acrescentar umas gotas de água para facilitar este processo.
Passar esta espécie de granola para uma tarteira ou forma de cheesecake (eu usei esta última pois acho mais pratica para desenformar) previamente forrada com papel vegetal e apertar com as mãos ou com ajuda de uma colher ou espátula contra o fundo da forma até formar uma camada bem compacta e uniforme. Vejam as imagens.




Levar ao forno pré-aquecido a 160º durante uns 10 a 15 minutos ou até dourar um pouco apenas, não deixem tempo de mais se não vai tostar ou até queimar.
Retirar do forno e deixar arrefecer antes de rechear.

Recheio:
Este é daqueles passos também muito simples: colocar todos os ingredientes num liquidificador, blender ou processador de alimentos e bater até obter um creme homogéneo e aromático. Podem provar e rectificar temperos ou o adoçante ao vosso gosto.
Despejar o recheio sobre a base de frutos secos já arrefecida e levar ao forno médio (160º) durante 25 a 30 minutos.
Estas receitas proteinizadas com ajuda de suplementos de proteína em pó são muito sensíveis no forno, uns minutos a mais e fica algo seco e completamente intragável. Esta tarte não é excepção à regra, por isso não dá para vacilar nesta etapa, aconselho a verificarem a cozedura logo decorridos 20 minutos. A tarte estará cozida quando apresentar um aspecto firme mas não seco. 
Dica: Ao retirar do forno, deixar arrefecer dentro da forma e tapada com um pano, desta forma a tarte acaba de cozer com o calor remanescente e ganha firmeza para poder desenforma-la de forma mais fácil e segura. 




Depois de fria é só desenformar com a ajuda de uma faca de maneira a descolar das paredes da forma e servir. Um conselho será guarda-la no frigorífico antes de servir, pois esta tarte fresquinha é qualquer coisa!





Informação Nutricional por Aproximada por 100g:

Proteína: 18g
Hidratos de Carbono: 12g
dos quais açúcares: 8g
Fibra: 3g
Lípidos: 14g

Sinceramente espero que se sintam motivados a testar esta receita, não fica uma tarte barata, mas o seu peso em nutrientes é inquestionável! Podem fazer uma crosta à base de aveia, manteiga de amendoim e mel, desta forma ficará bem mais barata, mas nesse caso o rácio entre os macronutrientes também será alterado!
  



Se há sobremesa rápida e fácil de fazer é sem dúvida um pudim flan instantâneo! Muitos de vós dirão que estes produtos estão cheios de corantes, estabilizantes e que não faz sentido introduzi-los na dieta, e têm razão! Mas que seria da nossa vida sem um pouco de estas gulosices, que para além de saberem bem, fazem parte da nossa infância e trazem lembranças de certeza bem agradáveis? E se pudessem fazer este pudim mas de uma forma mais saudável e sem comprometer assim tanto a dieta? e se para além de saboroso fornecesse uma quantidade extra de proteína? Se em vez de um bocadinho pudessem comê-lo todo?...Ui! Cá bom!... Aí a história é outra, não é?... 

Pois bem! é muito mais simples do que imaginam, e o resultado, bem, o resultado é DELICIOSO!



Então vamos la explicar como isto se faz:

Ingredientes (Pudim):
1 Saquinho de Pudim Flan El Mandarim
60g Proteína Whey sabor a baunilha
200ml Leite de coco
300ml Leite de Amêndoa

Caramelo Fake:
Mel + Café expresso




Preparação:

Caramelo: Aquecer no microondas uma colher de sopa de mel e misturar com uma colher de chá de café expresso bem escuro. (podem usar café em pó instantâneo) o café para além da cor fornece aquele paladar amargo como se de caramelo verdadeiro se trata-se. Podem ainda fazer uma versão sem mel, com água, stevia, café e aroma de caramelo.

Pudim Flan: Preparar 5 forminhas para pudim ou uma de meio litro com o caramelo falso. Se tiverem daquelas formas de silicone também podem usar, são muito práticas na hora de desenformar!
Misturar o leite de coco e de amêndoa e colocar apenas 300ml ao lume num tacho até levantar fervura, enquanto o leite está a aquecer bater num shaker com os restantes 200ml de leite o pudim em pó e a proteína whey até dissolver bem. Adicionar esta mistura ao leite que está no tacho e deixar em lume brando durante uns três a quatro minutos sem parar de mexer.
Quando o preparado engrossar ligeiramente, está pronto! Agora é só dividir pelas formas, deixar arrefecer e refrigerar durante uma a duas horas. 




Deixo um pequeno clip para conferirem a cremosidade e textura desta deliciosa sobremesa proteica. Se salivarem é normal! 

                   

INFORMAÇÂO NUTRICIONAL:

Esta receita rendeu 5 pudins flan pequenos com a seguinte composição nutricional aproximada:

Proteína: 10g
Hidratos de Carbono: 4g
dos quais açúcares: 3g
Lípidos: 7,8g *

*Se usarem só leite de amêndoa ou qualquer outra bebida vegetal com menos gordura que o leite de coco, verão este valor reduzido, claro que perderão índice de cremosidade do pudim, mas não se pode ter tudo.

Esta é daquelas receitas que não podem mesmo deixar de fazer, testem fazer em casa e mandem vossos feedbacks! Podem usar proteína de outros sabores, adicionar cacau, alfarroba, canela, coco, fruta, etc. As possibilidades são muitas, é só uma questão de abrir asas à imaginação!




E como estamos no verão aqui vai mais uma receita refrescante, nada melhor que um gelado quase instantâneo rico em proteína de qualidade (Whey Protein) e sem açúcar nem gordura adicionada.

Para vos poupar o trabalho decidi fazer esta receita em formato vídeo, contudo, deixo algumas dicas em baixo que considero pertinentes.

  


Como puderam observar a coisa não é nada dificil de fazer, é claro que ter um liquidificador Optimum 9400 ajuda bastante, mas também podem usar um processador de alimentos ou mesmo uma varinha mágica, poderá demorar mais um pouco mas chegam lá também!

Com as quantidades propostas na receita fazem sorvete para duas pessoas, mas podem dobrar ou dividir conforme as quantidades que pretendam fazer. 

Podem também fazer como eu, que como metade e congelo a outra, assim ficam com um gelado para deliciarem-se mais tarde, é só retirar do congelador 15 minutos antes de servir.

Usei 50g de Proteína Whey mas na verdade podem aumentar esta quantidade se pretendem algo ainda mais proteico, eu diria que para as mesmas 300g de morangos poderiam ir até as 80g de proteína, mas assim em vez de uma sobremesa passam a ter uma refeição proteica! 

Podem substituir o Leite de Amêndoa por de coco, leite de vaca ou qualquer bebida vegetal do vosso gosto. Vão adicionando pouco a pouco, como mostro no vídeo, pois serve para ajudar a processar o fruto congelado.

Se não tiverem morangos também funciona com mirtilos, framboesa, amoras, ou ainda, combinações de frutos: Morango e banana, framboesa e Manga, Mirtilos com Melão, etc. As opções são muitas o que não podem esquecer é de congelar a fruta com antecedência.

Não deixem de fazer isto em casa pois vão-se surpreender com o resultado!

Macros (receita completa):

Proteína: 39g
Hc's: 22g
Fibra: 8g
Gordura: 3g


Definitivamente estão na moda os pré-mixes para fazer panquecas proteicas! 
A ideia de misturar um pó com água e colocar na frigideira é mais tentadora que partir uns ovos e bater com aveia, banana, canela, etc...
Penso que se alguém começar a embalar estas panquecas já feitas em vácuo e prontas a comer teria ainda mais sucesso, isto porque lamentavelmente procuramos sempre o mais prático, o mais rápido e o que dê menos trabalho. Não critico pois vivemos numa época onde a vida quase nos obriga a isto, mas desengane-se quem pensa que alimentar-se à base destes pós muito práticos é altamente saudável ou que nem precisam de olhar para o rótulo...


Assim como a Scitec Nutrition, existem muitas outras marcas que aproveitaram esta moda para criar as suas panquecas em pó. 
Na verdade este conceito já existe há muitos anos, pelo menos em Espanha, lembro-me bem de ir à FIBO em Madrid e experimentar as tortilhas de claras em pó e aveia da Ovofull, basicamente eram (e são) albumina em pó com farinha de aveia, aromas e adoçante. Este produto continua a ser, no meu entender, o melhor de todos, não o digo pelo sabor e textura mas sim pela qualidade, pois são ingredientes básicos e que lhe confere uma tabela nutricional muito equilibrada. 

Voltando ao Protein Pancake da Scitec Nutrition, ele está disponível em três sabores (à data deste post), são eles: Chocolate Branco e Coco, Chocolate Banana e Sem Sabor ou Neutro.  

Começando a análise deste produto, e falando do que todos querem saber (que é como quem diz, do sabor), experimentei o de chocolate branco e coco e o de sabor neutro... Há um ditado que diz que gostos não se discutem, não concordo muito com isso, mas na verdade entendo que cada um de nós sente de forma diferente, o que para mim pode ser salgado para muitos é insosso. O paladar é algo que educamos conforme aquilo que comemos. Os adoçantes, açúcar e sal para além de adulterarem o real sabor dos alimentos condicionam os nossos sensores gustativos e viciam o paladar, por isso acho que gostos sim se podem discutir e mais do que discutir alterar! 
Dito isto, deixo ficar aqui a lista de ingredientes e tabela nutricional deste produto na versão Chocolate Branco e Coco, como documento de suporte à minha apreciação do sabor, textura e qualidade deste produto. 



Como podem confirmar parece quase uma lista de compras! Ele tem aveia, tem ovos (as claras), tem leite em pó (leite gordo diga-se), tem coco ralado, tem chocolate branco, tem iogurte, tem queijo quark, tem fermento e até sal de mesa (Cloreto de sódio)... Ah! e tal, mas tem proteína whey e caseína também!... Sim, pois tem, mas para consumires essa proteína tens que levar com toda essa quantidade de lactose, açúcar, gordura e sal?... Não, não tens!
De facto fiquei surpreendido quando vi a lista de ingredientes, muito ingrediente para uma coisa tão simples deixou-me logo desconfiado. A Scitec Nutrition tem fama de ter produtos com bom sabor (no meu ponto de vista com demasiado sabor, mas isso sou eu) e neste Protein Pancake não deixou os seus créditos por mãos alheias, sabor é coisa que não falta a estas panquecas! 

Acho este sabor muito enjoativo, a panqueca feita com as proporções que a marca indica fica muito doce e ao mesmo tempo salgada! de tantos derivados lácteos que contém deixa um travo a manteiga. A marca diz que se pode misturar com água ou com leite, nem quero imaginar isto com leite! 
Não gostei do sabor e quanto a isso nada a dizer, gostos não se discutem não é? :) Será por estar habituado a fazer as minhas panquecas com ovos e aveia sem todos esses "pós" adicionais? talvez seja por isso ou talvez não, só sei que prefiro perder 5 minutos a preparar umas Panquecas Verdadeiras que voltar a comer destas!

Quanto aos valores nutricionais, até nem são maus, mas peca por um excesso de gordura no meu ponto de vista, gordura esta que deriva da quantidade de ingredientes de origem láctea que este produto contém.
Se são daqueles que gostaram destas panquecas o conselho que vos dou é que não façam todos os dias, alternem com outros alimentos ou refeições, ou ainda optem pela versão sem sabor que como explico mais abaixo é "menos má" que esta!




Protein Pancake Unflavored (Sem Sabor):
É do senso comum para quem se preocupa com o que come que é sempre melhor optar pelas versões sem sabor pois estas não têm os aromas, adoçantes, sal e outros aditivos que, dependendo do caso, servem para realçar ou camuflar o sabor do produto final.
Este produto não é excepção à regra, é de facto melhor opção, nutricionalmente falando, do que as versões aromatizadas. Mas será bom de sabor? Este já é um produto válido para dietas mais restritas?



Ora bem, continua a ter leite gordo em pó e sal de mesa, ou seja, completamente proibido para quem está em dieta de pré-competição, ou para quem quer cortar com o sódio e lactose da sua dieta. Quanto à quantidade de proteína podem ver que em relação à versão com sabor esta contem mais proteína (+ 18% que as versões com sabor) e menos gordura!

Quanto ao sabor, achei salgadas, algo que notei logo quando pus um pouco de pó na língua (sim como os polícias quando provam a droga nos filmes! Faço sempre isso antes de testar o produto, acho que dá grande estilo!). 
Ficam também mais secas pois o facto de utilizarem proteína whey sem outro ingrediente que "guarde" alguma humidade, faz com que se deixarem tempo demais estas panquecas na frigideira, se transformem numa espécie de "fardo de palha". Isto é algo que explico nas receitas onde utilizo whey pois tenho a noção que é muito difícil cozinhar com este ingrediente. Se tiverem interesse neste assunto podem ir à secção PROTEINIZAR onde deixo uma espécie de manual para quem quer iniciar-se na arte das receitas proteicas.

Receita Bónus
Não ficando muito fã deste produto e pensando um pouco em aqueles que como eu ficaram decepcionados e sem saber muito bem como vão gastar o pó, criei uma receita que transforma estas Protein Pacakes (sem sabor) em algo verdadeiramente delicioso! 

Como este produto já tem as claras em pó, a farinha de aveia e o fermento, só precisam de dar-lhe sabor, para isso utilizei uma banana madura, extracto de baunilha e uma pisca de canela. Devido ao efeito hidrorrepelente da proteína whey adicionei também queijo quark, desta forma as panquecas ficam mais húmidas e tenras. 

Ingredientes:
200ml àgua
4 Scoops (150g) de Protein Pancake Scitec Nutrition (versão sem sabor)
1 Banana madura (120g)
1 Colher de sopa (50g) de queijo quark ou queijo batido*
Canela e extracto de baunilha q.b.

*Como alternativa ao quark podem usar puré de abóbora ou de batata-doce.

Colocar todos os ingredientes no Liquidificador ou Processador e bater até obter uma massa homogénea. Verter em pequenas porções na frigideira anti-aderente pré-aquecida e untada com óleo de coco, virar com cuidado as panquecas quando estiverem com algumas bolhas na parte superior. Não façam em fogo muito quente se não vão tostar de mais, eu diria que fogo médio.



Sugestão para recheio ou toping: Manteiga de amendoim, canela, mel e coco ralado. Uma autêntica delicia!










Um dos electrodomésticos que utilizo mais frequentemente é sem dúvida o liquidificador, a maior parte das receitas deste blog serve-se da ajuda deste maravilhoso instrumento. Mas como em tudo na vida, liquidificadores há muitos e nem todos são a mesma coisa.

Moer, misturar, bater, emulsionar, picar, ralar e até amassar, são funções para os quais servem o Liquidificador ou Blender (palavra inglesa bem mais fácil de pronunciar e escrever!) fazer batidos, sumos, smoothies, molhos, etc, são tarefas muito mais fáceis e rápidas de fazer com estas máquinas.

Já passaram pelas minhas mãos inúmeros Blenders, lembro-me do primeiro (não há amor como o primeiro) da marca americana Oster, copo em aço inox, botão com 4 velocidades e um peso descomunal, à Americana! 




Optimum 9400
Na verdade é um blender, mas não um blender comum, pertence a uma categoria chamada de High Speed ou High Performance, eu diria que são os Fórmula 1 deste tipo de electrodoméstico. E não estou a brincar, se dúvidas houvesse os 3 Cavalos de potência falam por si! 


Atingindo uma velocidade de até 44.000 rpm e com 6 lâminas de corte é capaz de pulverizar qualquer coisa que lhe caia dentro!
Esta potente máquina é de grande ajuda para transformar alimentos sólidos em farinha, aveia, amêndoa, leguminosas, etc.



É muito simples de usar, tem um "painel de controlo" minimalista, não se trata daqueles blenders cheios de luzes e botões que mais parecem um cockpit, tem apenas dois botões de alavanca, um para ligar e desligar, outro para dar impulsos de velocidade e um potenciómetro ou como eu gosto de chamar-lhe, o acelerador, que serve para controlar a velocidade/potência do animal!  

Pormenores Técnicos:
Não sou nenhum especialista neste tipo de aparelhos mas de facto esta máquina tem algumas características técnicas que fazem dela algo mais à frente.

- 6 Lâminas de corte: Vale o que vale mas a Gillete só chegou a 5 com a sua Mach 5! (brincadeira obviamente). A maioria destas máquinas têm 2 ou 4 lâminas de corte, as duas que a  Optimum 9400 tem à mais, estão por baixo das 4 ditas normais, a trabalhar de forma "rasteira", assim, mesmo com pouca coisa no copo as lâminas vão la buscar tudo! 
- Torque Automático: isto é uma espécie de embraiagem que deixa passar mais ou menos binário para as lâminas dependendo do que se coloca no copo, para ingredientes menos densos ou mais líquidos não vai precisar de tanta potência como para moer frutos secos, feijões ou quem sabe, pedras, sim, leram bem, está máquina moe pedras com podem verificar no vídeo em baixo:



- Copo de plástico Copoliéster Tritan: uma espécie de plástico que se usa a nível industrial para substituir o vidro em alguns utensílios, além da ausência de BPA, o Tritan possui uma transparência e um brilho superior, é resistente a riscos, quedas, impactos e pode ser lavado na máquina de lavar louça.
- Ligação do copo à máquina: A conexão das lâminas ao motor é feita através de uma ligação de duas peças estriadas, uma macho e uma fêmea, desta forma garante-se a máxima resistência e durabilidade do conjunto. Por outro lado o eixo que transmite a potência do motor ao interior do copo gira através de um rolamento blindado. Não tenho duvidas em relação à robustez desta máquina e em particular à forma como foi desenhada esta conexão, ponto por onde cedem a maioria dos liquidificadores e processadores que já usei. Muitos fabricantes cismam em fazer esta conexão com uma peça metálica e uma de plástico (a metálica trabalha por dentro da de plástico) ou então com duas peças de plástico, basta colocar na máquina alimentos mais densos e estas peças cedem.





Minha experiência com a máquina:
Tenho aproveitado ao máximo o facto de poder usar este blender para fazer um pouco de tudo, farinha de aveia e de amêndoa por exemplo, moer grão e outras leguminosas, fazer uns smoothies e sumos detox, manteiga de amêndoa, gelados, molhos, mousses, sopas, batidos de proteína, etc.
Tenho a dizer que nestas funções é com certeza a melhor máquina que já me passou pelas mãos, o facto de atingir rotações tão altas ajuda a fazer cremes e emulsões sedosas e sem partículas sólidas ou grumos. 
Esta Optimum 9400 não deixa por créditos alheios a sua fama, é de facto um blender muito potente que presta uma ajuda excepcional a quem como eu usa este tipo de electrodoméstico diariamente.
Não a posso comparar de forma justa com a bimby, até porque a bimby não é apenas um liquidificador, tem outras funções, contudo, no que toca às funções de liquidificador este blender supera a bimby de longe!




Pontos Fortes:
- Base muito robusta que não mexe mesmo a processar pedras!
- Motor muito potente que consegue moer tudo!
- Fácil de usar.
- Peças metálicas na conexão do copo à máquina.
- Sistema de torque autómático
- Peça de plástico que ajuda no processamento de alimentos, sem ter que desligar a máquina.
- Copo fácil de lavar e muito resistente.
- Ferramenta para ajudar a tirar as lâminas do copo e facilitar a lavagem




Pontos a Melhorar:
- No meu ponto de vista faz falta um segundo copo mais pequeno, pois o que vem com a máquina é de 2 Litros e para preparar um batido pequeno (300ml) ou processar menores quantidades de alimentos temos que sujar este calhamaço. Existe concorrência no mercado que já oferece até vários copos com tampas herméticas e tudo.
- Algo que muita gente reclamou é o facto de a máquina trabalhar sem tampa, eu acho isto muito prático mas a maioria acha perigoso e de facto o é. A máquina não tem nenhum sistema de segurança que evite o funcionamento sem tampa.

Bem, por agora é tudo, vou continuar a utilizar esta máquina e dando feedback sobre a mesma. No geral estou muito satisfeito e sinto que é um aparelho para durar muito tempo!!

Podem saber mais sobre este Blender visitanto a página do representante oficial: Froothie Portugal








                            

Antes de mais, recomendo, a quem ainda não o fez, ler o post anterior "O Melhor Pré-Treino-1ª Parte", isto porque serve de contextualização para o que explico nesta segunda e última parte.

Vou dedicar este post a explicar algumas coisas interessantes e nomeadamente a perceberem um pouco da ciência por trás destes tão badalados suplementos que fazem as delícias de muitos frequentadores de ginásio. 


Para isso vou munir-me de alguns rótulos destes produtos:



Hyper FX da BSN
Assault da MusclePharma
FireWorks da ScitecNutrition
Jack 3d da USP Laps 
Estes rótulos de produtos bem conhecidos, têm como denominador comum, o facto de que em nenhum deles se consegue saber qual a quantidade exacta de cada ingrediente, são agrupados em matrizes ou uma espécie de mistura patenteada e as doses individuais que constam nos rótulos reflectem a quantidade desse grupo de ingredientes mas não de cada um deles isoladamente. 
Outro aspecto, e que já tinha referido na primeira parte deste artigo, é que existe um ingrediente que não pode faltar: A Cafeína! pois sem ela, estes produtos pouco fazem antes de um treino! Quanto à quantidade de cafeína por serviço também ficamos a nanar, só um destes produtos é que apresenta a quantidade exacta de cafeína que cada serviço fornece.
Outro aspecto interessante são os nomes dados às ditas matrizes (misturas) de ingredientes que se encontram neste tipo de suplementos para dar um ar de fórmula altamente científica ou para que o consumidor pense que está a tomar algo muito estudado. Dou aqui alguns exemplos:

HYDRATION SYSTEM 1200mg 

Taurina, água de coco em pó e glutamina 
Sim leram bem, o Assault usa esta superfórmula de 1,2 g para causar um efeito de hidratação! e por mais incrível que pareça, a água de coco em pó é que será aqui o único ingrediente que fará algum sentido ao nome de dita mistura!

CELLULAR TRANSPORT & INSULIN ACTIVATOR 2952mg

Activador da insulina? antes do treino? ok eles lá devem saber... estas 2,95g contêm Dextrose, L-Glicina, D-ribose e Canela. A dextrose sem dúvida que estimula a produção de insulina mas mesmo que fossem as 2952mg totais desta "super matriz" em dextrose não estou a ver grande pico de insulina! Quanto à presença de Glicina e Ribose nem sei que diga. Já no que toca à Canela, tem prestado algumas provas no controlo da glicemia, talvez será aqui o único ingrediente que tenha lógica num pré-treino, a mim pelo menos fazem-me grande efeito os crepes com canela antes do treino! 

SHOCK FORCE SPECTRUM (NO-XPLODE)

Contém: ácido aspártico, óxido de magnésio, cálcio, pimenta vermelha, pimenta preta e colicalciferol ou vitamina D3. Isto é que é um espectro de força de choque! ou la que queiram dizer com isso! Sim, são minerais com molho de pimenta e uma cobertura de vitamina D3! muito top! 

Meus amigos, querem um conselho? quanto mais nomes sugestivos e floreados tiver o rótulo mais vos querem enganar! não há muito que inventar num produto para tomar antes do treino! queremos algo que nos dê um coice de energia e não que nos dê uma dor de cabeça só de tentar ler (decifrar) os seus ingredientes.

Por esta altura já devem estar a pensar: Mas este caramelo não vai aconselhar nenhum produto em condições? Então nenhum presta?... Pois bem, até estes de que falei cumprem o efeito pretendido, estimular o SNC (Sistema Nervoso Central) para "dar pica no treino", a questão é saber ao certo o que estamos a tomar, e nesse capítulo encontrei poucos produtos que no rótulo apresentassem as quantidades exactas de cada substância. 

A continuação dou alguns exemplos (não serão com certeza os únicos) de alguns pré-treinos, que mesmo não tendo fórmulas com as quais eu concorde inteiramente, são exemplos de produtos que informam ao consumidor qual a quantidade de cada substância contida na sua fórmula por dose, assim podem fazer os vossos cálculos e pelo menos terem alguma consciência do que estão a meter ao bucho antes de "puxar ferro".

Optimum Nutrition Gold Standard Pre Workout



Para os mais habituados a este tipo de suplemento terão de duplicar a dose deste produto para para sentir de facto os seus efeitos energéticos. Com uma dose dupla consegue-se com este produto uma dose explosiva de 350mg de Cafeína e umas generosas 3g de Beta-Alanina e Citrulina Malato, suficientes para sentirem um formigueiro em algumas partes do corpo!

Beverly Nutrition MyoCore

Outro Pré-treino que diz o que tem por cada dose, este é um pouco mais estimulante em comparação ao anterior pois para além de ter 200mg de cafeína também contém extrato de schisandra. Podem encontrar nesta fórmula também o D-Ácido Aspártico que ultimamente se tem difundido e utilizado como um pro-hormonal pela industria dos suplementos por ter propriedades estimuladoras da libertação de LH (Hormona Luteinizante) e da GH (Hormona de crescimento).

QNT NO + Elite - Shots



Pré-treino líquido em Shot pronto a tomar, muito prático e com quantidades idóneas de estimulantes que permitem dar um boost antes do treino! Para mim o ponto forte deste produto é facto de ser um pré-treino sem creatina! Se fosse eu a fazer a fórmula duplicava a quantidade de cafeína por shot e trocava a Taurina pela Citrulina Malato! Assim sim! ;)

NXT TNT Micro



Este é talvez o menos conhecido, mas não menos válido que os anteriores! Contém por dose: Arginine AKG: 3000mg; Cafeína: 250mg; Beta Alanina: 2000mg; Taurina: 1000mg; Citrulina Malato: 2000mg - Uma bomba a ter em conta sem ingredientes ou fórmulas patenteadas da chacha! 

Considerações Finais:
Não sou apologista de tomar pré-treino só por tomar, nem acho que seja um suplemento indispensável para o atleta, contudo, em determinadas ocasiões ou em treinos específicos podem ser uma ajuda para atingir aquele pico de energia extra que precisamos! Antes de um jogo, antes ou a meio de uma corrida, dependendo da distância e do pré-treino, antes de um "treino de pernas", etc. 
Procurem um suplemento que vá ao encontro do vosso desporto ou objectivo e que seja o mais adequado à vossa individualidade. Se sofrem de hipertensão não vão tomar um que seja muito forte em cafeína e sódio, se treinam no fim do dia, optem por um produto com menos estimulantes, se estão em dieta de secagem tenham cuidado com esses produtos que não especificam ao certo os seus componentes...

Espero que tenha sido de alguma ajuda estes dois artigos sobre os pré-treinos e que de alguma forma consigam tirar partido dos meus bitaites! 

Bons (Pré)Treinos a todos!